Baby

 

Na minha casa tinha tinha um radinho verde escuro, que sintonizava através de um dial giratório, você também já deve ter visto muitos se nasceu nas décadas de 70 e 80.
O nosso ficava na cozinha e fazia a trilha sonora dos nossos cafés da manhã. Eu me lembro que a programação da rádio não era muito variada, tinha alguma coisa de mpb. Todos os dias tinha Canteiros do Fagner e Baby, com a Gal Costa.
Eu ia pelo caminho da escola cantarolando essas duas músicas.
Ontem tive a oportunidade de ver a Gal cantando Baby a uns 10 metros de mim. Uma oportunidade única e emocionante, não só de transpôr o limite do radinho verde, mas de tocar de novo as minhas lembranças: minha família, o pão quentinho com cheiro de café, o caminho da escola, o vento batendo no rosto, o uniforme azul e branco. Não preciso nem dizer o quanto esse foi um show que me emocionou.

 

Você precisa tomar um sorvete

Na lanchonete, andar com gente

Me ver de perto

 Ouvir aquela canção do Roberto.

Você precisa, você precisa, você precisa…

Anúncios